Eu costumo trabalhar com 3 etapas de
processo criativo, veja como funciona:


1

Criação não é algo natural!

Isso mesmo, não é natural do homem sair criando coisas por aí. A criação é uma técnica e com muita prática qualquer pessoa pode ter boas ideias. Convencido disso, já me desprendo da cobrança de criar algo genial de primeira, é passo a passo, camada por camada, até chegar ao ponto em que pareça ser algo bom, até lá é muito suor, partindo dos conceitos mais óbvios até os que ninguém pensou ainda. Nunca pense que chegou ao fundo do terreno criativo, sempre tem um pouco mais para cavar.


2

Defenda um Argumento

Toda comunicação tem uma lição de vida para passar.
Qual é a que você quer defender?

Depois de encontrar o Conceito Criativo, penso no que tornaria meu trabalho relevante para o público, o que posso explorar e provocar no repertório deles para comunicar o que quero com o Conceito Criativo, é crucial a sinergia entre Conceito e Argumento em todas as peças.


3

Escolha como executar

Uma execução ruim acaba com qualquer ideia, enquanto uma ideia ruim pode ter valor agregado com uma boa produção. Escolho uma estética que favoreça o Conceito e Argumento, procuro encontrar sintaxe entre as peças, assim elas deixam de ser isoladas e começam a costurar uma história. Na produção é quando o Argumento e o Conceito se concretizam como um só, é a superfície de todo o trabalho que tive, deixo o mais refinado possível.

Lembre-se: a audiência não quer perder tempo com algo que não seja coeso para ela, se os objetivos não foram atingidos até aqui, é hora de começar tudo de novo.

O cérebro humano é como um guarda-chuva:
funciona melhor quando aberto.

Walter Gropius


Veja meus projetos